quinta-feira, 30 de julho de 2009

Simplifique Sua Vida. Organize-se!

Quantas vezes usamos a desculpa de que não temos tempo para não arrumar a bagunça que tomou as gavetas do escritório, dos armários dos quartos, das estantes dos brinquedos das crianças, da casa inteira - até do jardim?

Falta-lhe ânimo e não sabe por onde começar? Simplifique sua vida. "Na próxima vez em que se queixar porque não tem tempo para organizar-se, pare. Todos nós temos tempo. A maneira como o usamos é que depende de cada um", afirma Donna Smallin, em seu livro Organize-se num Minuto, da Editora Gente.

Ela garante que em 15 minutos, por exemplo, você pode arrumar a gaveta das meias ou limpar a bancada da cozinha. Em 10 minutos é possível dar um jeito na sapateira e, em 5, você consegue recolher cinco objetos que estão fora de lugar.

Em seu livro, ela dá centenas de dicas de como organizar sua vida e, mais importante ainda, de como mantê-la organizada após a mudança. Veja algumas e mãos à obra!

O primeiro passo é que você deve ser realista com relação ao que você pode ou não fazer. Não é possível organizar a casa toda da noite para o dia. Mas é perfeitamente possível arrumar uma gaveta. Faça um planejamento. Tarefas de organização aleatórias também são boas, mas se você realmente quiser agilizar o processo, planeje. Por onde vai começar? Quanto tempo por dia vai dedicar às tarefas?

Conte com a ajuda de seu amor para organizar uma prateleira, gaveta, bancada ou armário, retire todo o conteúdo. Devolva ao lugar apenas as coisas que você realmente usa ou aprecia. Remova de seu espaço físico todas as coisas que não usa, mas das quais não consegue separar-se. Guarde-as numa caixa. Escreva nela o conteúdo e data. Se no prazo de seis meses ou um ano você não as usou, doe a caixa toda.

Verifique o prazo de validade e descarte frascos de perfume com mais de três anos; cosméticos com mais de um ano; protetores solares com mais de dois anos; tudo o que estiver com a data de validade vencida.

O que fazer com a papelada que se acumulou? Dê o primeiro passo. Reúna todos os papéis espalhados pela casa ou pelo escritório. Selecione-os rapidamente por categorias. Ponha todos em caixas, com exceção dos mais importantes - que em geral se relacionam a projetos, finanças ou prazos. No passo seguinte, você pode decidir o que vai fazer com cada um deles. Nesse meio-tempo, você saberá onde está toda a papelada que ainda não organizou.
Cada coisa em seu lugar Recipientes de plástico transparentes com tampa são os melhores produtos para organizar objetos de todos os tipos. Calcule o número necessário e compre-os do mesmo tamanho para empilhá-los facilmente e obter um efeito mais "limpo"; camas de pés altos fornecem um espaço excelente embaixo para guardar brinquedos, roupas de cama e casacos durante algum tempo. Dobre o espaço do seu armário pendurando peças curtas como blusas num suporte extra de cabides.

Adote algumas estratégias diárias: antes de guardar um objeto, pergunte-se: "É aqui que ele fica?" Se não for, gaste mais um minuto e leve-o ao devido lugar. Anote lembretes, recados e números de telefones mais usados numa caderneta e elimine, assim, aqueles pequenos pedaços de papéis espalhados que se perdem facilmente. Se precisar deles, você saberá onde encontrá-lo.
Controle a bagunça e faça uma coleta de 5 minutos todas as noites, antes de deitar-se. Divida essa tarefa com os outros membros da família - cada um deles tomará conta de um cômodo. Dê um saco plástico às crianças pequenas para que ajudem nessa ronda noturna. Guarde imediatamente suas roupas após tirá-las ou leve-as à área de serviço para que sejam lavadas.

Para manter a administração doméstica, digite e arquive no computador listas padronizadas de instruções para a faxineira, a babá ou a empregada. Quando precisar delas, só terá de imprimi-las e fazer alguns lembretes, se for o caso.
Fonte: mulher.terra.com.br

quarta-feira, 29 de julho de 2009

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Férias, Chuva, Frio, um Cházinho...

É apenas uma semaninha, mas o suficiente para não fazer nada ou fazer tudo - porque não fazer nada é fazer alguma coisa..., descansar, ler, filosofar, assistir TV, passear, ficar sem horários - ainda mais com tanto frio e chuva em São Paulo, as opções acabam se resumindo dentro de casa - mas ao mesmo tempo, fora - através da janela da sala ou dos quartos, da internet, do meu blog querido - encontrar vocês e visitar outros "irmãos blogueiros"... Ai, como é bom descansar! Recarregar as baterias, ficar no telefone com amigas - sem pressa. Ler, ver, ouvir música (principalmente aquelas que alimentam a alma), analisar, deter-se, observar...

Sábias as palavras do rei Davi: "Este é o dia que o Senhor fez. Alegremo-nos e regozijemos-nos Nele..." - Salmo 118 - Com sol ou chuva, calor ou frio, viagem ou não viagem, dias aparentemente comuns ou não...

Opssss, a chuva parou. É melhor sair e caminhar um pouquinho, rever as ruas e árvores preferidas de meu bairro, senão vou engordar muito nos próximos dias e virar uma "pata-choca"... Até de repente!

Ótima - e surpreendente - semana a todos!

domingo, 26 de julho de 2009

Tudo por um Queijo...

A fotógrafa holandesa Ellen van Deelen passou a treinar dois ratinhos, Moppy e Witje, para que fizessem poses como se estivessem tocando instrumentos musicais de tamanhos diminutos.
Ellen decidiu fazer a experiência depois de ter visto um violão bem pequeno na vitrine de uma loja.
A partir de então, buscou uma série de outros instrumentos, como trombone, flauta e acordeon, para registrar imagens com os roedores.
A técnica? Depois de cada treino, Ellen dava queijo a Moppy e Witje, como forma de recompensa pelo aprendizado. “Eles são muito inteligentes. Sabiam exatamente como posar para a câmera. São atores talentosos”, afirma a holandesa.
São demais de fofos e espertos, não acham? E cá entre nós, eu como mineiríssima - diretamente de BH (Belo Horizonte - MG), que o diga: "o valor de um queijo..."

sábado, 25 de julho de 2009

Hoje é Dia Nacional do Escritor. Parabéns!

Escrever pode ser um ofício, um passatempo, uma forma de desabafo, uma manifestação artística. A escrita tem várias funções dentro da linguagem e o verdadeiro escritor é aquele que sabe utilizar-se de cada uma destas funções para atingir seu objetivo, seja ele informar ou encantar quem o lê.

O 25 de julho foi definido como "Dia Nacional do Escritor" por decreto governamental, em 1960, após o sucesso do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado naquele ano pela União Brasileira de Escritores, por iniciativa de seu presidente, João Peregrino Júnior, e de seu vice-presidente, Jorge Amado.

Antes do século VI a.C., as grandes narrativas eram passadas oralmente. Desde a invenção da escrita, essas histórias puderam ser repassadas e permanecer na história em sua forma inicial, já que o discurso oral sempre apresentava variações.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Como Fugir dos "Quilos" a Mais no Inverno

Com o frio, nossa fome por "coisinhas gostosinhas" aumentam e, óbviamente essas coisinhas são mais calóricas.

O endocrinologista Wilmar Jorge Accursio explica o motivo dessa fome exagerada e diz que é possível comer bem no inverno sem engordar, tendo apenas criatividade e disciplina.

No vídeo abaixo, ele explica tudinho, inclusive, as substituições...

O Diploma de Gastronomia e os Doutores do Jornalismo

Li nesta semana e gostei tanto que resolvi reproduzir, na íntegra aqui. O interessante é que o autor além de jornalista, professor, doutor em literatura, curte demais a gastronomia. E, já que o assunto ainda está um pouco fresco... vamos lá: Diploma de Jornalismo, sim ou não?

"Meu nome é Felipe Pena. Sou jornalista, professor da Universidade Federal Fluminense, doutor em Literatura pela PUC-Rio, pós-doutor em semiologia pela Sorbonne e faço um risoto de frutos do mar muito apreciado pelos colegas da imprensa que frequentam a sala de jantar da minha humilde residência. A maioria insiste diariamente para que eu abra um restaurante, sugestão que nego com veemência, apoiado em um único argumento: não tenho formação adequada.
Perdoe-me pela sinceridade, mas se você achou que o primeiro parágrafo foi irônico é tão preconceituoso quanto os jornalistas que se indignaram com a fundamentação do ministro Gilmar Mendes ao derrubar a exigência de diploma para o exercício do jornalismo.
Por que gritaram tanto ao ouvir a comparação entre jornalistas e cozinheiros? Por que se sentem superiores aos colegas da gastronomia? Por acaso somos melhores ou mais sofisticados? Talvez mais eruditos? Claro, nós lemos Balzac, Joyce, Proust, Foucault, Deleuze. Mas essa não é a bibliografia dos cursos de Letras ou de Sociologia?

Pela lógica da obrigatoriedade, passaremos a exigir o diploma de Letras para qualquer um que escreva romances ou se arrisque nas estrofes de um poema. Da mesma forma, só poderá exercer o pensamento crítico sobre a sociedade quem passar pelos bancos empoeirados das escolas de Ciências Sociais. Aliás, este epíteto - ciência - é parte do problema. Um problema que começa justamente na universidade.
Nossos doutores da Academia falam despudoradamente em Ciências da comunicação, mas onde está a ciência? Qualquer jornalista sabe que sua atividade está ligada a aptidões artísticas, ao bom e velho talento, a uma boa dose de coragem e, principalmente, à capacidade de se comunicar com o público. Claro que não é só isso: lidamos com técnicas específicas e com valores morais que afetam a sociedade. Mas isso também não é ciência e tampouco se aprende na universidade.

Então, para que servem as faculdades de jornalismo? A resposta é simples: para aprender a fazer um bom risoto. Se você tiver alguns professores acostumados com o manejo das panelas e outros bem informados sobre os temperos, talvez alcance o objetivo. Mas só vai completar o aprendizado quando chegar na cozinha e tomar uma bronca do chefe: o chefe de reportagem.Infelizmente, o ambiente universitário contempla poucos professores interessados em gastronomia. Os pratos são servidos frios, não têm sabor. Falta pimenta e sobra chuchu na maioria das receitas. A Academia é um inverno de fome, mas é a vaidade dos cozinheiros que atrofia as glândulas gustativas.
Os professores somos corporativistas. O verbo é inclusivo porque a crítica não me isenta de culpa. Na universidade, principalmente nos cursos de mestrado e doutorado, utilizamos uma linguagem hermética – escondida sob o véu de ciência - como estratégia de poder para perpetuar nosso lugar nas cátedras douradas da Academia.

O discurso é claro: se você não me entende é porque ainda não alcançou o meu nível, mas se estudar muito um dia chega lá. Não é de estranhar que nossos alunos se sintam superiores. Afinal, ninguém fala em epistemologia ou em hermenêutica nos cursos de culinária.

Sou favorável ao diploma de jornalismo, o que não significa defender a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão. Na introdução de um livro que publiquei em 2005 (Teoria do Jornalismo, Ed. Contexto), tinha uma opinião diferente, mas acho que precisamos rever nossas conclusões sobre o tema.
Se eu fosse diretor de um jornal, daria prioridade aos profissionais formados nas boas escolas de comunicação (aquelas que têm cozinheiros talentosos), mas não excluiria sociólogos, advogados ou economistas, cujas habilidades podem ser úteis ao jornalismo.

Lá em casa, o risoto continuará a ser servido, mas o restaurante fica pra depois. Quando me formar em gastronomia, convidarei os amigos (se ainda os tiver) para ler o jornal que os garçons vão produzir. Só não sei se o editor-chefe será o sommelier ou o maître.

Bom apetite!"

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte - MG...

Lamentável! É um descaso muito grande, tamanho caos...

Um dos principais cartões de visita do Brasil, a Lagoa da Pampulha - pertinho do estádio do Mineirão e da Igreja em forma arredondada, projetada por Oscar Niemeyer - situada em Belo Horizonte ou melhor, como costumo dizer: "BH para os mais chegados e Belô para os mais íntimos" - MG, está em uma situação muito precária por grande descuido das autoridades.

Eu, mineiríssima da gema, cheia das mais belas recordações de infância vividas no mesmo local, chorei ao assistir este vídeo:

Autoridades do $$$: estão esperando o que para "limpar a área", preservar e fazer algo por um dos patrimônios históricos mais queridos e conhecidos do Brasil, a Lagoa da Pampulha?

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Janelas Para a Vida...

Não sei explicar o porque, mas Amo Janelas!
Quando me levanto, a primeira coisa que faço é abrir a janela de meu quarto que fica na parede do mesmo lado de minha cama e a partir do momento que vou adentrando os outros compartimentos, abro todas, até chegar à cozinha para preparar o café e dar continuidade às outras atividades, antes de sair para a TV.
É tão bom contemplar o céu (moro no 9º andar), os arredores, principalmente quando o sol resolve aparecer e invadir o infinito lançando seus raios num montão de nuvens fofas, distribuídas em matizes de azul e branco, aparecer e cumprimentar o "mundão".
Olhar para o Alto e alimentar a esperança, ainda mais quando não se tem muitos planos, é muito revigorante... Não custa lembrar que por sermos profissionais da comunicação, também construimos uma crônica da vida atual e pretendemos fazer com que os "leitores" se reconheçam nos relatos, mas também agreguem surpresas e novidades a seu modo de enxergar o mundo.
Abram uma janela para os tempos em que vivemos, seja porque lidam diretamente com as questões de hoje, ou simplesmente por nos ajudarem a enxergar nós mesmos de um modo novo e surpreendente. E, viva!!! Vamos parar de filosofar e "viajar para a vida" um pouquinho?


Reproduzi algumas janelas bem convidativas. E aí? Animou-se para mudar - se necessário - a sua posição perante o cotidiano?

terça-feira, 21 de julho de 2009

Festival Anima Mundi

Os aficionados por filmes de animação podem se preparar. Começa na próxima quarta-feira (22) o 17º Anima Mundi, mostra que chega a São Paulo em versão compacta, após uma maratona de exibições de dez dias no Rio.

Curta-metragem "This Way Up", de Smith & Foulkes, concorreu ao Oscar 2009

Criado em 1993, o festival chega à marca de 401 filmes, divididos em quatro mostras competitivas (longas, curtas, infantil e portfólio) e quatro não-competitivas (animação em curso, futuro animador e panorama de curta e longa). Participam do festival 40 países.

"A Fera" (foto) é um dos curtas franceses que fazem parte da programação do 17º Anima Mundi, que começa nesta quarta-feira

Um dos destaques é um encontro com animadores do estúdio Laika, que revelará os detalhes da produção do longa "Coraline". "Será como a apresentação de um DVD ao vivo", explica Marcos Magalhães, 50, um dos diretores do festival.Vale conferir ainda o papo animado com Amid Amidi, dono de um dos blogs mais acessados sobre animação, http://www.cartoonmodern.blogsome.com/.

Festival exibe novo filme de Wallace e Gromit

Mais informações no site: http://www.animamundi.com.br/

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Dia da Amizade Hoje / Day Of Friendship

Seu Amigo Está no Meio Deles?
Your Friend Is In Midst Of Them?

Lavar as Mãos, Ajuda a Prevenção da Nova Gripe (Suína, H1N1)

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde) quem apresentar febre acima de 38º, tosse e falta de ar deve procurar o mais rápido possível, antes de 48 horas, um serviço de saúde para ser avaliado. E mais, lavar as mãos, ajuda a prevenção da nova gripe. Assista o vídeo e aprenda a melhor forma de higienização.

domingo, 19 de julho de 2009

100 Receitas Para Refeições Rápidas...

O livro "100 Receitas para Refeições Rápidas" ensina a fazer pratos rápidos, saudáveis e criativos, ideais para levar ao trabalho, à escola e em passeios. Muitas delas podem ser guardadas por um período no refrigerador, facilitando o planejamento e diminuindo a pressão logo no início da manhã, explica a autora Nicola Graimes - que mora em Brighton, na Inglaterra - na introdução do livro.
Ele é dividido em seis capítulos temáticos: Petiscos e pastas; Sopas; Sanduíches e wraps; Saladas; Lanches; Bolos e guloseimas. A variedade de receitas por capítulo é enorme e vão desde pipocas picantes até pudim de frutas vermelhas, passando por baguetes, temakis e minipizzas.

Ao longo das receitas, há símbolos que identificam se os pratos são seguros para dietas especiais como vegetarianos ou pessoas que não podem comer glúten. Ao final, é possível encontrar cardápios para cinco dias da semana com dietas especiais: sem glúten, vegetariana, vegan e sem frutas oleaginosas.

Vale a pena conferir!

sábado, 18 de julho de 2009

Já Viste um Filhote de Porco-Espinho?

Gente,
Recebi um e-mail com esta coisinha fofa e divido com vocês... Verdade, é um filhote de porco-espinho!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails