terça-feira, 30 de junho de 2009

Meninas com Modas

Clique no link abaixo e inscreva-se:

Tinned Lunch, ou melhor, Marmita...

"Preste atenção na variedade de cores do seu prato. Quanto mais diversidade, melhor. É assim que você sabe que está consumindo as diversas vitaminas e sais minerais presentes nos alimentos. "Algum alimento é proibido? Não, muito pelo contrário. A recomendação importante é dada pela professora da faculdade de Nutrição Sonia Ferreira, da PUC-Campinas, ou seja, coma de tudo, mas apenas um pouco. E, creia, é possível elaborar cardárpios fabulosos.Como saber se a refeição está realmente balanceada? Depois de almoçar, sempre bate uma vontade de comer um doce. "Frutas são sempre indicadas. Prefira a banana, que já vem com embalagem, e a maçã, pois além de muitas vitaminas e fibras, ainda faz uma espécie de limpeza bucal", indica Sonia.
Apesar do preconceito de muitas pessoas, levar marmita para o trabalho tem muitas vantagens. A primeira, e talvez mais importante, seja nutricional. "Fazendo as escolhas certas e tomando as devidas precauções, você pode fazer uma refeição bastante saudável e equilibrada nutricionalmente", explica Selva Fierro, consultora da área de Nutrição do Senac São Paulo.

Para isso, a nutricionista recomenda incluir sempre na marmita algum tipo de proteína, fibras e carboidrato. "A pessoa pode e deve variar o cardápio diariamente. As proteínas estão presentes na carne vermelha, no frango, no peixe ou no ovo. Já os carboidratos estão disponíveis na batata, no arroz, no macarrão. Inclua sempre verduras e legumes na refeição, e tente optar pelo arroz integral", orienta. Traduzindo: uma porção de carboidrato, outra de proteína e o restante quanto mais colorido, melhor (frutas e verduras, legumes...).
Pelos cálculos dos entrevistadas, o prato feito em casa pode custar cerca de 60 ou 70% a menos do que o mesmo prato na rua. "Comer fora é sempre mais caro do que comer em casa ou trazer marmita. Nos restaurantes e lanchonetes há uma série de fatores que encarecem a refeição", lembra Selva. Ela cita como exemplos os impostos, o aluguel, a mão-de-obra, o ponto comercial, os materiais descartáveis. "Fora que ao fazer a comida em casa você consegue reaproveitar alimentos e evitar desperdícios. No restaurante é aquela quantidade de comida e ponto. Não tem nada melhor que a comida da casa da gente, que ainda é feita com afeto!", lembra Sonia.
É também uma questão de economia "Apesar de o brasileiro ter o costume de levar marmita, há um certo menosprezo, sentimento que não é partilhado por outros povos. Não podemos ter vergonha de comer bem", explica Sonia. Outro motivo para levar marmita ao trabalho é a integração que o almoço pode proporcionar. "Comer sozinho é chato. Lembro-me da época em que cada um trazia uma comida gostosa e repartia com os colegas. Isso quebra barreiras e une a equipe. A digestão é mais tranqüila e ainda é possível trocar diversas receitas e histórias", observa a nutricionista Sonia.

Se você anda desestimulado e não consegue elaborar uma boa refeição, balanceada e nutritiva, e tem procurado pelos lanches rápidos, salgados, cachorros quentes, frituras e doces, fuja dessas atitudes erroneas - correndo, pois isso significa perda de qualidade de vida, aumento de peso e diversos problemas de saúde (pressão alta, diabetes, colesterol alto etc.).

Ame-se! Cuide-se! Viva bem e melhor, com uma alimentação simples, balanceada, saudável e bem gostosa.

domingo, 28 de junho de 2009

Jardim temperado?

Cultivar uma horta não é privilégio de quem tem um grande quintal ou pra quem mora num sítio ou fazenda, bem distantes da cidade.
Sálvia, hortelã, salsinha, alecrim, manjericão, coentro, orégano fresco,... (este útimo é algo alucinante. Na casa de minha cunhada tem e eu assalto o seu canteiro cada vez que a visito).

Além de saborosas, as ervas podem enfeitar a sua casa, quando transformada em jardins e você terá além da beleza e charme, ingredientes naturais sempre à mão.

Dá pra acreditar que a plantinha com florzinhas brancas acima trata-se de um vaso de cebolinha? Isso mesmo, aquela cebolinha que costumam vender nas feiras livres e quitandas junto com a salsinha. Já fiz e é uma graça. Dica: quando alguma cebola perdida na geladeira começar a brotar, transporte-a para um vaso de barro, vidro ou alumínio e o resultado será este. Uma hortinha pode "ter a sua cara", dentro ou fora de casa ou de seu apartamento. Mãos à obra e delicie-se com tudo que é de bom. E mesmo que o espaço seja bem pequeno, a falta de uma varanda não é problema para quem deseja ter uma vida mais saudável e um ambiente vivo.
Você pode escolher um cantinho (ou cantão) especial dentro de sua casa, ao ar livre como sacadas, varandas ou terraços e deixar vasos espalhados até mesmo presos em jardineiras.
O vaso em forma de pacotinho acima é um "agradinho" com pé de morangos, isso mesmo, aquela frutinha maravilhosa de boa... Com a criatividade de arquitetos ou paisagistas você poderá trazer muito charme à decoração de sua casa. http://arquiteteseusonho.blogspot.com/
A horta poderá ser completa em seu ambiente para que descubra o prazer de cultivar seus próprios temperos, ervas terapêuticas, aromáticas, verduras e até legumes...
São ervas que crescem com facilidade, mas precisamos conhecer alguns cuidados básicos para fazer com elas reproduzam. Se você curte beleza, cheirinho agradável e saudável, elabore suas idéias e pense:
pode ser um jardim vertical - com nichos para ervas, ou, uma cozinha com cachepôs transparentes que deixam as pedrinhas e a terra à vista,
ou vasinhos na borda da piscina pra quem mora em casa e nem a cobertura escapa: as ervas poderão ser plantadas em meio à vegetação ao redor do "muro".
Sempre que alguém comenta que gostaria de cultivar algumas ervas mas não tem espaço para ervas e temperos em casa já vou logo dando dicas e olha que moro em apartamento.
Veja mais algumas dicas que não ocupam espaço. Recebi esta imagem de uma amiga que é uma apaixonada por plantas, tanto que deu um jeito de tê-las até mesmo na estrutura de ferro da janela de sua casa. Na instalação, ela usou suportes de ferro e as jardineiras de plástico presas a eles. As espécies escolhidas, entre elas, hortelã, tomilho e cebolinha, recebem o sol da manhã.
Vale saber que as regas diárias garantem o frescor de ervas e temperos de hortas domésticas em áreas urbanas. Mas cada uma tem uma necessidade...
Veja que bacana a imagem acima: até Elizabeth 2ª, rainha da Inglaterra, cria horta nos jardins do Palácio de Buckingham pela primeira vez, desde a Segunda Guerra Mundial. Claro que é uma tremenda de uma horta por ser num palácio, não é?
Uma decoração elegante e com aroma surpreendente depende de você e deve ser ensinado às crianças, pois além de tudo, diz respeito pela natureza, não acha? Faça um "Jardim temperado", ou melhor uma Hortinha, dentro ou fora de casa de casa. É uma atividade terapêutica, relaxante, que com certeza enriquecerá o seu mundo de sabores.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Michael Jackson Sai de Cena...

Ele moveu gerações com sua dança ousada e entra na história com mistério e furacão musical. Foi surpreendente em tudo desde o início. Uma explosão de energia, com múltiplos talentos que aos poucos, se espalhou pela Terra... Começava a música pop que iria influenciar o mundo inteiro. Diana Ross convidou os irmãos Jackson Five para apresentar um número musical e em 1970, "os jovenzinhos" ganharam milhões, discos de ouro, fama. Michael sempre se destacava em tudo. Era afinado e aos poucos foi assumindo a liderança.
O cantor Michael Jackson, no centro, posa com os irmãos na banda Jackson Five, em 1975
Michael Jackson na turnê de "Off the Wall", em 1979. A carreira solo era inevitável. O seu lado universal, de ser capaz de provocar emoção em pessoas tão diferentes em todo o mundo fazia com que ele conquistasse cada vez mais amantes de seu estilo único.
"Thriller" lançada em 1983 foi o álbum mais vendido da história: 109 milhões de cópias. Nessa década e com domínio da voz cada vez mais firme, definitivamente Michael Jackson se tornava o rei do Pop. Discos e mais discos eram lançados e conquistavam admiradores. No início dos anos 90 começa o declínio, escândalos... Apesar de críticas em 1991, o povo gostou de um último lançamento, após anos de reclusão; sua última aparição musical, foi em Londres. O furacão musical que varreu o mundo nos anos 80 foi muito além disso, deixou um rastro de surpresas.
Sua vida foi um grande palco de vários rostos e transformações que o marcaram. Praticamente descaracterizado em janeiro de 2009, o jornal britânico "The Sun" noticia que Jackson sofria de grave doença pulmonar genética e estaria convencido de que iria morrer em breve.

Overdose de medicamentos permitidos? Ele não aprendeu a lidar com emoções reais mas vivia a realidade sendo um artista completo por excelência: produtor, coreógrafo, dançarino, compositor, intérprete,... Se escondia no mundo da fantasia sim, mas vivia a realidade ao se "misturar" a ponto de ser considerado um visionário (o que tem ideias extravagantes, ou visões, devaneios, segundo o dicionário Aurélio) pelos especialistas da música.

Ontem, quinta-feira, dia 25, com cinquenta anos, ele vai embora desta vida. Seus imitadores relembraram suas músicas o dia todo hoje nas principais cidades do mundo e deram shows com a dança de rua - de Michael - que ganhou requinte e conquistou o Planeta.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

A Verdade Dobra a Esquina

A manhã, véspera do inverno, é de um sol capaz de tirar o gelo dos dias anteriores. Enquanto caminho, desfruto do clima e da presença alegre de bichinhos peludos e saltitantes. Mulheres cheias de sacolas de plástico cruzam meu caminho, mas não são elas que me chamam a atenção. Sinto, mesmo, a companhia de uma natureza viva e envolvente, quase rara em São Paulo.

Chego e logo o cheiro de shampoo me invade as narinas. O encontro com Mazé acontece minutos depois, a escova marcada também. Apesar das conversas paralelas e do secador, conseguimos conversar sobre a reportagem da Luiza Brunet, na revista em que leio. Não demorei a deixar o salão.

A rua está movimentada. Um vento com cheiro de frango balançam os meus cabelos e o desejo de uma feijoada para o almoço é banido. Padarias modernas não fabricam mais só pães. O preço é “camarada” e não precisava encomendar, ainda assim prefiro ligar.

Dobro a esquina e vejo um homem dobrado em cima de plásticos. Uma velha bicicleta faz a vez de armários, vários pertences pendurados. Antes de deixá-lo um último olhar, um último desejo. “Espero que a padaria mude de lugar, para que o cheiro de frango não venha mais lhe importunar.”

E ele que mora tão perto do frango, nunca sequer ouviu seu cacarejar.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Bota Pra Fazer Debates com Marcelo Tas

Na semana passada, participei de mais um Bota Pra Fazer Debates, desta vez com Marcelos Tas, jornalista e comunicador, e Ricardo Cavallini, professor de marketing e também da áreade comunicação para falar sobre "O Poder das Mídias Sociais". Houve dicas incríveis como por exemplo para o empreendedor poder se valer das mídias para alavancar o seu empreendimento e ajudar a entender mais sobre esse tema e perguntas do tipo: "Será que a internet vai mesmo dominar o mundo?" ou "Como toda essa mudança pode impactar o seu negócio?"

Os apresentadores nos deram um Show de interpretações desse "mundo novo" e dentre inúmeras perguntas, salientaram como descobrir a importância de ter um blog e de utilizar as mídias sociais a favor do seu negócio, como essas ferramentas podem ajudar nesse mundo de mudanças constantes...

Achei bastante interessante a simplicidade e cultura do Marcelo Tas. Entre suas obras destacam-se o repórter ficcional Ernesto Varela e as séries infantis “Rá-Tim-Bum” (TV Cultura), participação na criação do “Programa Legal” e “Telecurso” (TV Globo) e do “Beco das Palavras”, um game interativo no Museu da Lingua Portuguesa, em São Paulo. Atualmente, Tas é o âncora do programa CQC, na TV Bandeirantes e autor do “Blog do Tas”, no UOL, um dos blogs mais premiados do país. Ele já foi agraciado com vários prêmios no Brasil e no exterior, entre eles a bolsa da Fullbright Comission, quando foi artista residente na NYU- New York University, nos Estados Unidos.Ricardo Cavallini também não fica atrás: com mais de 20 anos de experiência em comunicação interativa, sua atuação abrange várias áreas e disciplinas. Foi Diretor de Mídia da F/Nazca Saatchi & Saatchi, Diretor de Operações da Euro RSCG 4D e Sócio-diretor de Engenharia da agência digital Organic inc.

Autor dos livros "O Marketing Depois de Amanhã", que fala sobre novas tecnologias e seu impacto sobre o comportamento do consumidor e "Onipresente", que coloca em um contexto histórico a transição do mercado de comunicação, ajudando a entender o cenário futuro é consultor corporativo, professor do curso de extensão de marketing direto da ABEMD e acumula passagens por agências, veículos e produtoras como JWT, DM9DDB, globo.com e Vetor Zero.

Resumindo, o evento foi MIL!!!

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Intercâmbio gastronômico leva chefs da Catalunha à capital mineira

Hoje é Dia do Orquidófilo. Parabéns!!!

Parece palavrão, mas não é. Trata-se do profissional que cultiva e cuida de orquídeas, estimadas hoje em cerca de 3.000 espécies espalhadas pelo mundo. Todas elas são extremamente lindas e ornam qualquer ambiente sem igual.A origem da palavra orquidofilia vem do grego orchidos + filein, que significa apreciar orquídeas. Embora eu tenha desistido temporariamente de cultivá-las, tenho tremenda apreciação por essas maravilhosas flores e não poderia deixar de registrar este dia.
No Brasil, os primeiros "cultivadores" de orquídeas foram as tribos indígenas. Gostavam tanto da plantinha que faziam rituais com orquídeas e acreditavam em poderes mágicos e medicinais.
Imaginem, se todos fizessem isso na atualidade com uma das flores consideradas mais nobres e caras do planeta.

sábado, 20 de junho de 2009

Ainda sobre "Meias Orfãs"

E por falar em meias (ver post dos vasinhos diferentes...), mais um exemplo de criatividade, só que desta vez, nas passarelas. Trata-se da estilista brasileira Dayanne Mikeves, radicada na França há 20 anos e faz moda com meias sem par.
Ela veio ao Brasil para divulgar sua marca, que começará a produzir aqui, e também o projeto Chaussettes Orphelines "meias órfãs", em tradução livre ou "Costurando Ideais" como foi nomeado no Brasil.

A imagem ao lado mostra que a saia longa de renda leva aplique com "meias órfãs" para compor o detalhe da peça e, Carvalho que participa do evento com outros estilistas franceses (ocorre de forma paralela à São Paulo Fashion Week e que terminou ontem na Villa Daslu).

Fora do trabalho da ONG, a marca usa muita renda colorida em sua última coleção, que vai começar a produzir no Brasil em setembro, com o apoio de uma parceira local.

Carvalho disse ainda sobre o projeto que ele começa entre no fim deste ano com a capacitação de mulheres do morro Dona Marta, no Rio, que vão produzir as peças, e está na chancela de projetos do ano da França no Brasil.

"A ideia surgiu arrumando a gaveta dos meus filhos. Eu queria aproveitar aquele material", disse a brasileira sobre a ideia. Dentre as peças que coleciona, Carvalho pode enumerar xales, coletes e jaquetas, tudo de meia. A matéria prima também é utilizada para detalhes de bolsas e outros acessórios.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails