domingo, 25 de janeiro de 2009

Parabéns, São Paulo!

É hoje! São Paulo completa 455 anos. Eleita pela revista americana Reader`s Digest a cidade mais gentil da América Latina e a 5a. cidade mais gentil do mundo. Eu sou fruto desta gentileza pois, apesar de ser mineira - de BH, já completei "Bodas de Prata" como paulistana nesta cidade que um dia fez parte de meu sonho e me recebeu de "braços abertos", se tornando uma linda história de amor que se mantém até hoje.

Muitos cartões postais de São Paulo dão a impressão de que a cidade se restringe ao rótulo de "selva de pedra", amontoada de arranha-céus cinzentos. Os muitos prédios (e a pobreza) existem sim, mas a arquitetura é diversificada, mescla vários estilos, inclusive internacionais.

Nesta metrópole efervescente tem de tudo: desde regiões apresentadas com seus melhores atrativos bem como opções de entretenimento e inclui boa parte da natureza distribuída em vários parques, shows, teatros, museus, eventos, igrejas, gastronomia, compras, além de negócios, enfim, possui múltiplas e intermináveis atrações (veja o vídeo): http://br.youtube.com/watch?v=E8CKfvGXXbU

Viver nesta cidade tão atraente, muitas vezes assusta pelo seu tamanho, seu vai-e-vem de transeuntes e veículos, sua multiplicidade étnica e cultural. Mas é essa mesma pulsação da "cidade depressa", como bem definiu o compositor Billy Blanco, que a torna "uma cidade divertida, atraente, diversa, única".

São Paulo é tudo de bom (http://www.visitesaopaulo.com/). Vale a pena descobrir e "se perder" neste mar de gente, conhecimento, tendências, cheiros, cores e sabores. O lugar é aqui. Venha, pelo menos pra passear, São Paulo surpreenderá você, pois para os seus amantes ela é também a "Cidadade maravilhosa, cheia de encantos mil....".
Parabéns São Paulo, continue "me recebendo" e continuarei te amando.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Sasha e Malia, filhas de Obama, inspiram bonecas


Poucos dias antes de sua posse, Barack Obama, escreveu uma carta aberta às filhas, Malia e Sacha, na qual afirma que decidiu concorrer à Casa Branca por causa delas, após concluir que depois que elas chegaram ao mundo compreendeu que sua vida pessoal não teria muita serventia a não ser que fosse capaz de garantir que as duas tivessem todas as oportunidades de felicidade e realização. Em última análise, conta à elas que disputou a presidência por causa daquilo que deseja para elas e para todas as crianças da América; lamenta o tempo que passou longe de suas meninas devido a política e agradeceu pela paciência e humor das filhas.
E não é que praticamente dois dias depois da posse de Obama, Sweet Sasha e Marvelous Malia, bonecas inspiradas em suas filhas, são mostradas pela empresa Ty Inc, em Chicago? O número de produção das bonecas é limitado e elas custam US$ 9,99 (cerca de R$ 23 reais). As bonecas são uma graça, mas o que não se sabe ainda é o que os Obama acharam sobre elas, pois, Barack e Michelle são conhecidos por preservar as filhas da exposição pública. Ao que tudo indica, estas meninas exercem grande influência e irão longe, não é?
Fotos: AP

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Discurso de posse - Barack Obama, Nova era de responsabilidades

Hoje é um momento histórico marcante: o mundo reverencia e celebra a posse do tão esperado 44o. presidente, primeiro negro a ocupar o cargo considerado o mais poderoso do planeta com uma cerimônia muito especial.
Antes, o Capitólio, o Congresso dos Estados Unidos, situado em Washington, nunca havia recebido tanta gente, cerca de 2 milhões de pessoas que apareceram logo cedo, de todas as partes, enfrentando um frio cortante, com temperatura abaixo de 0o.C e longas horas de espera; mas tal esforço parecia pouco para receber Obama. Todos, grandes e pequenos, ricos, pobres, brancos, negros, amarelos, vermelhos, se juntaram para receber o novo presidente. E, sem horas pra terminar pois, o casal ainda pretendia participar de cerca de 10 bailes, festas tradicionais organizadas por diferentes regiões do país, em rituais de posses presidenciáveis.
Na tribuna presidencial do Capitólio estavam os ex-presidentes dos EUA vivos: George W. Bush, Bill Clinton, George H. W. Bush - pai do ex-líder - e Jimmy Carter. Todos eles estiveram acompanhados por suas mulheres.

Momentos antes do discurso, a mulher Michelle e suas filhas Sacha e Malia, observavam o momento emocionadas, o juramento de Barack Obama que aconteceu minutos após o previsto, às 12h (15h de Brasília), pois a cerimônia sofreu um pequeno atraso. Obama quis jurar sobre a mesma Bíblia usada por Abraham Lincoln em 1861, responsável pela libertação dos negros nos EUA, com as mesmas palavras: "Juro solenemente desempenhar com toda fidelidade o cargo de presidente dos Estados Unidos e, até o limite da minha capacidade, preservar e proteger a Constituição dos Estados Unidos".


O juramento foi feito diante do presidente da Corte Suprema dos EUA, John Roberts (momentos antes tinha sido a vez de o vice-presidente Joseph Biden fazer seu juramento, perante o juiz do Tribunal Supremo John Paul Stevens). Após terminar, a multidão reunida no Mall, parque situado em frente ao Capitólio em Washington, explodiu em aplausos e gritos de "Obama, Obama". Ele foi ovacionado pela multidão que enfrentou o frio cortante para assistir a sua posse.

Com aproximadamente 20 minutos de discurso, ele move cabeças e corações, reconhece as cirscunstâncias em que os EUA se encontram e se baseou numa mistura de Lincoln, F.Roosevelt, Ronald Reagan e R.Kennedy. Foi um discurso marcante, no qual colocou que os desafios são novos, mas que os valores antigos é que gerarão mudanças; consciente da crise local e global incentivou e inspirou a nação convocando a todos "a colocar as mãos na massa, unir raças, fazer as pazes uns com os outros". O cerne da mensagem é de caráter moral, quase religioso, muito condizente, gentil e prega energias renováveis. Como assisti toda a cerimônia ao vivo, registrei aqui alguns trechos que mais me tocaram:

"Estou aqui hoje, humildemente tomando posse como presidente dos EUA. Continuamos fiéis aos ideais de nossos antepassados. Estamos no meio de uma crise, não é algo novo, com a economia enfraquecida e queremos preparar a nação para uma nova época. Os desafios são sérios e reais, são múltiplos, mas serão enfrentados".... e continua "... Escolhemos a esperança e não o medo, chegou a hora de reformar o espírito, a promessa dada por Deus de que todos somos importantes e merecemos uma chance de buscar a própria felicidade. Nossos antepassados trabalharam duro por nós, lutaram e morreram bravamente, sacrificaram até que suas mãos sangrassem, pois viam a América como uma viagem, uma nação mais próspera desde como tudo começou...." e por ai vai... "Nossa capacidade continua mas o nosso momento é de buscar. Levantemos, sacudamos a poeira e levemos o trabalho de resgatar, reconstruir a América."

E prossegue: "... A colcha de retalhos que é nossa herança, trazidos por toda a parte do globo, podermos acreditar que esse ódio um dia vai passar e a América precisa desempenhar esse novo papel. Devemos construir e não destruir. Engano, corrupção é um lado errado da história e vamos cerrar o punho, o mundo mudou e precisamos mudar com ele. Trabalho árduo, coragem e patriotismo é antigo, mas verdadeiro e tem sido a força do progresso. A nova era é de responsabilidade, dar tudo de nós, esse é o preço e a promessa de nossa cidadania. Deus quer que nos reunamos independente de raças e religião, vamos marcar este dia lembrando de quem nós somos e tão longe viajamos...".

E finaliza: "América, enfrente aos nossos perigos comuns com esperança, às correntes geladas desse inverno, não viremos nossas costas, e com a graça de Deus entreguemos seguramente o que Ele nos entregou. Deus abençoe os Estados Unidos da América."

Após o discurso, a cerimônia prosseguiu com uma programação intensa: poesia declamada por uma amiga, o Hino Nacional Americano entoado pelo Coral da Marinha, duas orações de bençãos por dois pastores (Rick Warren, pastor da Igreja de SaddleBack, na Califórnia, e líder do movimento conhecido no Brasil como Vida com Propósitos, e Joseph E. Lowery, ministro da Igreja Metodista Unida e veterano do movimento pelos direitos civis); e, antes do almoço, Obama que dedicou ato superior e de coragem na passagem do bastão nesse momento triunfal, acompanhou junto com Michelle, o Casal G. e L. Bush que já haviam dito que não participariam do almoço até um helicóptero que os levaria para seu rancho, no Texas. Como muitos esperavam o momento do "Adeus Bush", foi um episódio também marcante, muito esperado, devido os anos vividos de uma doutrina unilateral. Apesar disso, Bush não foi vaiado e recebeu alguns poucos aplausos, sob o olhar curioso da multidão enquanto embarcava.

Antes do almoço no Capitólio com os líderes Congressistas, Obama assinou 03 documentos após deixar Bush no helicóptero para retornar ao Texas e ainda fez uma brincadeira para descontrair: "A primeira assinatura ficou feia porque minha mão está muito gelada devido ao frio, mas a terceira já está bonita.", disse sorrindo. Após o almoço que se alongou seguido de várias homenagens, o casal Obama e o vice, Joe Biden com Jill, sua mulher, saem da sala e seguem para assistir a vários desfiles na Pensilvânia (trajeto com 2.700 km do Capitólio até a Casa Branca) a bordo de um cadilac blindado rumo à Casa Branca, conforme manda a tradição, sob forte esquema de segurança.

De baile em baile, cada um com um discurso diferente, Obama e Michelle não decepcionaram e festejaram os novos tempos. Aproveitaram cada momento da grande festa, dançaram e, muito. Se um baile de gala já é uma tremenda festa, imagine dez bailes oficiais. Obama variou os rítmos de dança com outros parceiros, mas também com sua mulher e na madrugada, partiram para a primeira noite na Casa Branca, seu novo endereço.

Abaixo, link do discurso de Barack Obama na íntegra, em inglês.
http://www.swissinfo.ch/eng/index.html

domingo, 4 de janeiro de 2009

Atitude é tudo...

Sou uma devoradora de livros e revistas em geral, mas um que considero o mais especial de todos, o Livro dos livros é a Bíblia - meu livro de cabeceira.

Gosto muito de me transportar para aquelas épocas remotas e distantes do Velho Testamento, buscar histórias e respostas sobre (e para) a humanidade e sempre constato que as necessidades, desejos e anseios dos seres humanos são os mesmos em todos os tempos, em qualquer época e cultura, independente do nível social, inclusive, também, no mundo moderno.

Estava lendo sobre os feitos de Jesus, realizados por volta de 1.970 anos atrás e fiquei fascinada como a bíblia registra a história do cego Bartimeu que está em Marcos 10:46-52. Pude extrair algumas lições da situação em que ele vivenciou e tenho tentado aplicar em meu caminhar.

O que chamou a minha atenção no texto foi a postura do cego Bartimeu. Ele sabia exatamente o que queria, conhecia a fama de Jesus em curar todo tipo de doenças e aproveitou a oportunidade quando soube que Ele estava passando por aquela região. Se posicionou, "colocou a boca no trombone" e não perdeu tempo, nem o foco. Mesmo com as advertências para que parasse de chamar Jesus incomodando-o, continuou a gritar para que Ele tivesse compaixão dele.

Por outro lado, Jesus foi atencioso, gentil, flexível, educado, objetivo e ouviu seu pedido. Parou, mandou chamá-lo e perguntou o que ele queria. A resposta foi imediata e ele foi específico, pois não havia perdido o foco:


- Mestre, quero ver de novo.


E Jesus respondeu:

- Vá, você está curado.

Analisando os dias atuais, percebo nessa modernidade toda que focar nossos objetivos, torna-se cada vez mais difícil, pois, há muitos apelos e bombardeios (chegam a ser estressantes) em todas as direções e algumas pessoas perdem seu chamado exclusivo nessa busca frenética pela resolução de seus problemas.

A atitude é tudo, e conforme mostrou Bartimeu em sua postura, me conscientizo de que é necessário em qualquer situação, estar focada em meus objetivos tanto na vida emocional, quanto na profissional, física e espiritual, pois, são fundamentais para manter o equilíbrio; ou seja, posso me aproximar de Deus e contar com sua ajuda para mudar o rumo de minha história na vida comum do dia-a-dia e seguir pelo desconhecido, confiante, mesmo nos dias atuais.

"Agrada-te do Senhor e Ele satisfará os desejos de seu coração. Entrega o teu caminho a Ele, confia Nele e tudo mais Ele fará". Salmo do Rei Davi, 37:5

sábado, 3 de janeiro de 2009

Curiosidades sobre a romã


A romã, fruta de sementes, que simboliza uma vida que se reproduz em bençãos para outros é uma das principais representantes de simpatias e decorações tradicionais das festas de fim de ano.

Além de todo o misticismo que a envolve, ela é apreciada pela medicina por conter substâncias antioxidantes, mineralizante, anti-inflamatória e refrescante; mas nem todos conhecem tais poderes e deixam de explorá-la no restante do ano.

Ela tem origem no Oriente Médio e passou a ser domesticada no Irã por volta de 2000 a.c e no Brasil, chegou através dos portugueses. Possui grande importância histórica por fazer parte do contexto cultural de muitos povos: para os gregos, a romã era um símbolo da fecundidade, tendo inclusive, sido consagrada à deusa do amor e da beleza, Afrodite. Para os judeus, a fruta simbolizava a esperança de que o ano novo que se iniciava, seria melhor do que o que se passara. Em Roma, era um símbolo da ordem e riqueza.

Existem dois tipos de romãs: a amarela que possui uma grande quantidade de sementes e um pequeno mesocarpo (parte carnosa) e a vermelha que possui um pequeno número de sementes e uma grossa camada carnosa, sendo, portanto, o tipo mais vendido em supermercados, feiras, etc. A Espanha é o exportador mais importante de romãs, sendo que a Turquia e Tunísia também produzem quantidades significativas da "preciosidade".

Apesar de ser um pouquinho difícil encontrá-la, está cada vez mais ganhando espaço aqui no Brasil, mesmo fora de sua época (fim de ano). Fiquemos de olho, pois como está se popularizando, há mais chances de todos incluírem esta fruta tão valiosa em seu cardápio diário. Aproveite e faça a receita de um suco bem simples e refrescante neste verão. Segue:

Suco de romã
Ingredientes:
- 2 litros de água; ½ xíc de mel; 2 pedaços de canela em pau; 3 cravos-da-índia; 20 romãs maduras.

Modo de preparo:
Faça um chá com a água, o mel, a canela e o cravo. Coloque tudo junto em uma panela, ferva por uns 2 minutinhos e, depois de esfriar, leve à geladeira.Lave as romãs e role-as sobre uma superfície com um pouco de força como se faz com o limão, para quebrar suas fibras e ele soltar mais suco. Abra a romã e bata em seu fundo com uma colher de pau para que saiam os carocinhos. Descarte a parte branca (ela é amarga).Coloque essas sementes em um pano de prato limpo e pressione-as para tirar o máximo de suco possível. Junte o líquido ao chá gelado, misture e sirva com gelo picado. Pode repetir à vontade pois, tem quase nada de calorias.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Ainda sobre o Ano Novo: sorria para a vida!


"Entreter um convidado é encarregar-se de sua felicidade enquanto estiver sob nosso teto."
Jean-Anthelme Brillat-Savarian (1755-1826), político e gastrônomo francês

Sou "famosa" entre os parentes, amigos e conhecidos pelo fato de usar, segundo eles, uma "super, hiper, mega-agenda" diariamente (eles não entendem que ela é uma extensão de meu cérebro, apesar de ter boa memória). Mas, neste ano novo, "deixei rolar", não programei nada. Como alguns familiares e amigos que costumávamos encontrar no fim de ano estavam em viagem, resolvi fazer uma espécie de "Open House", como nos "Steites": deixei a casa aberta, livre de horários e com algumas coisinhas gostosinhas para receber aqueles que não viajaram e não agendaram compromissos. E não é que saiu tudo tão certinho, que se tivesse programado com antecendência como de costume, talvez não tivesse sido tão gostoso!?!?!?

Recebemos parte de meus familiares, os que não viajaram e uma grande amiga, que estávamos ensaiando tal encontro há alguns meses para o almoço. À tarde, chegaram mais alguns amigos (da Capital e do Interior). Entre muita curtição, risadas, planos e o papo em dia, concluímos a noite com uma bela "massa parisiense", feita pelo maridão e um cheese cake (maravilhoso!!!) feito pela minha mana, Cal.

Quem me conhece muito bem, sabe que não sou chegada a doces, mas alguns em especial como esta receita da minha irmã, amo de paixão: é gostosa, leve e facílima de fazer. Se você gosta de receber (ou de comer e fazer sobremesas), segue a dica da receita que é, como diz um de meus sobrinhos, muuuuiiiiitttoooo dez. Vamos lá:

CHEESE CAKE

Ingredientes:
- 500 gr. de ricota
- 01 lata de leite condensado
- 01 lata de creme de leite
- 01 lata (medida acima) de leite de vaca
- 02 pcts. de gelatina incolor

Cobertura:
- geléia de morango, ou goiabada ou amoras (cerca de 200 grs.).

Massinha de base:
- 01 pc. de bolacha maizena triturada no liquidificador (vá acrescentando margarina até dar o ponto, mais ou menos 03 ou 04 colheres de sopa).

Modo de fazer:
Abrir a massinha numa fôrma de fundo falso e reservar.
Bater no liquidificador todos os ingredientes, exceto a gelatina. Quando formar um creme, acrescentar a gelatina preparada (ainda morna) à parte conforme instruções da caixinha, e misture ao creme.
Bata novamente, de leve, cubra a massinha espalhada na fôrma e deixe na geladeira até obter consistência (cerca de 03 horas). Desenforme e cubra com a geléia préviamente derretida em fogo baixo.

Bom, fica aí a dica para que todos aproveitem não apenas o primeiro dia do ano ou datas especiais para receber pessoas que você ama, ou até mesmo para preparar uma receita gostosa; mas sim para considerar todos os dias de nossas vidas que são preciosos e importantes, sabendo que podemos desfrutá-lo, independente de qualquer situação ou data festiva.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails