sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Palavras difíceis e frases esdrúxulas


Muitas pessoas, para demonstrar boa cultura, usa de vez em quando uma palavra que não faz parte do vocabulário ativo, gostam de esnobar sapiência em suas falas e escritos, e às vezes, até os publicam em jornais e revistas.

A boa redação não significa encher o texto de palavras difíceis e de frases esdrúxulas. Hoje prima-se pela simplicidade, clareza e objetividade.

Na internet, há um texto engraçado que exemplifica bem isso:

“Rui Barbosa, quando chegava à sua casa, ouviu um esquisito barulho vindo do seu quintal. Constatou que havia um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo, surpreendeu-o tentando pular o muro com seus amados patos.

Bateu nas costas do tal invasor e disse-lhe:

- Ó bucéfalo, não é pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes e sim pelo ato vil e sorrateiro de galgares as profanas de minha residência. Se fazes isso por necessidade, transito; mas se é para zombares de minha alta prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica no alto de tua sinagoga que reduzir-te-á à qüinquagésima potência que o vulgo denomina nada.

E então o ladrão indagou:

- Moço, levo ou deixo os patos?”

Um comentário:

Leonardo disse...

olá rose.
mantenho um blog sobre futebol, mais especificamente sobre o time da portuguesa santista, que foi responsável direto pelo início de toda a questão do apartheid.
espero que siga meu blog.
obrigado
leonardo - santos-sp

blog: noticias da briosa